O poder da família Lopes em Poá

.
A cidade de Poá agora é liderada pelos Lopes. Gian é o prefeito. Wilson, o Secretário de Transportes e Welson, o Presidente da Câmara Municipal. E é aqui que reside nossa maior preocupação.

Nem é necessário avançar muito na discussão da moralidade de uma eleição do presidente do legislativo parente do prefeito em exercício. Aliás, ética e moral são quase sempre desprezadas no mundo político. Mas há questionamentos importantes que não devem ser ignorados:

O Presidente da Câmara terá autonomia para fiscalizar o prefeito?

Terá isenção para colocar em pauta os projetos de interesse da cidade?

Terá disposição para tramitar celeremente possíveis denúncias contra a administração municipal?

Trabalhará para um correto julgamento das contas municipais?

Observa-se, desde já, que a harmonia constitucional exigida será garantida mas e a independência?

É verdade que há parentes que divergem e alguns até são adversários políticos mas isso não ocorre em Poá. Tais preocupações são temas importantes que deveriam estar em pauta na cidade que teve o último prefeito eleito cassado e num país que vive sob contínua desconfiança da classe política. 

Ignoraram este ambiente quem elegeu Welson, assim como aqueles que se omitiram ao não lançarem uma candidatura de oposição na Câmara.

Aguardemos os próximos passos mas de uma coisa não há dúvida. A sociedade precisa acostumar-se a fiscalizar os homens e mulheres do Poder. Não faltam mecanismos para isso. Se houver esta cultura, não há o que temer.

Por Leandro de Jesus
Foto: Reprodução Facebook

0 comentários:

Publ01