25 janeiro, 2014

Festa Cubana em Poá, no dia 15

Está chegando! Pelo segundo ano consecutivo, a Festa Cubana será realizada em Poá. O evento solidário tem como objetivo contribuir para um sonho coletivo: a formatura do jovem Rogério Araujo na Escuela Latino Americana de Medicina de Havana, de Cuba.

Das mãos calejadas em obras da construção civil, como auxiliar de pedreiro, às mãos ágeis de um novo médico brasileiro, formado em Cuba, país que recepciona tão bem os bolsistas brasileiros.

Para festejar em grande estilo, muita música e alegria com artistas já confirmados: Dami Alves, Banda Santo Gringo, Maria Dolores (Baiana) e Banda Verbalize.

A festa ocorrerá no dia 15 de fevereirom no Salão Áurea do Clube Concórdia, das 20h às 02h. A entrada custa apenas R$ 10,00. Para mais informações, consulte a página da festa no Facebook, clicando AQUI

Por Leandro de Jesus

14 janeiro, 2014

Rolé contra o racismo no Shopping JK Iguatemi, neste sábado

A organização social UNEafro convocou para o próximo sábado 18 um “Rolé contra o racismo” no shopping JK Iguatemi, zona oeste de São Paulo. Na página do evento, já há mais de mil confirmados. O evento lembra a repressão que aconteceu no shopping Itaquera durante “rolezinho”, onde Policiais Militares usaram bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha para conter os jovens que se encontravam no local.

“Criminalizado como um dia fora a capoeira, o futebol, o samba a MPB e o RAP, o funk moderno é tão contraditório em seu conteúdo quanto o é resistência em sua forma e estética. E se está servindo também para fazer aflorar o racismo enraizado na alma das elites hipócritas – muito mais vinculadas aos valores da luxuria e ostentação que o Funk, declaramos: somos todos Funkeiros!” diz a página do evento.

Além do “Rolé contra o racismo”, ao menos dez outros shoppings já tem eventos marcados neste final de semana. Entre eles, estão os shoppings Itaquera e Campo Limpo, que conta com liminares da justiça contra a organização deste tipo de evento no local. Veja AQUI a lista de "rolezinhos" já marcados.

Confirme presença no ato clicando AQUI

Texto: Carta Capital

11 janeiro, 2014

1,4 mil pessoas em condição análoga a de escravos foram resgatadas no Brasil

Segundo a Pastoral da Terra, de 2003 a 2012, houve uma redução de 29,4% nos casos de casos de trabalho escravo nas áreas rurais, mas ele cresceu nas cidades, principalmente na indústria têxtil e na construção civil. Clique abaixo para ver a reportagem.
  Tv Brasil

04 janeiro, 2014

Programa Jovem Aprendiz recebe inscrições até o dia 19 de janeiro

O Programa Jovem Aprendiz, promovido pelos Correios em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), está com inscrições abertas até o dia 19 de janeiro. Os interessados devem ter entre 14 e 22 anos e precisam acessar a página do programa para efetuar o cadastro.
Imagem: Agência Brasil
Nesta edição, o Programa Jovem Aprendiz vai selecionar 2.529 pessoas para aulas teóricas e práticas de auxiliar administrativo dos Correios. O curso tem uma duração de 12 meses. Será concedida bolsa mensal de R$ 318,26, além de vale-transporte, vale-alimentação e atendimento médico-odontológico.

Durante as primeiras horas de inscrição, candidatos relataram pelas redes sociais dificuldades para entrar na página. A assessoria de imprensa dos Correios relatou que instabilidades podem ocorrer devido ao “grande volume de acessos”.

O Programa Jovem Aprendiz acontece em cerca de 500 municípios de todo o Brasil. A oportunidade é dada prioritariamente a famílias de baixa renda, estudantes que tenham alcançado boas notas na escola e participantes de programas sociais. Mesmo quem não concluiu o ensino médio pode participar, desde que comprove frequência escolar.

Texto: EBC

Situação indefinida sobre as desocupações em Poá

Publicado no Notícias de Poá
 
Certamente as famílias que poderão ter seus imóveis desocupados em Poá não irão celebrar felizes as festas
de fim de ano. Apreensão, incerteza e revolta são os sentimentos das milhares de pessoas afetadas pela ordem judicial. Diante da proximidade do prazo final de 120 dias emitido pela justiça, para demolição de aproximadamente 500 imóveis, é natural que haja muita preocupação na cidade, especialmente porque até o momento não há definição clara sobre a reversão das decisões ou quando a prefeitura irá cumpri-las.

Outra preocupação é a manutenção de moradias em áreas de risco e a chegada do período de fortes chuvas. Infelizmente, no Rio de Janeiro, já foram registradas mortes em áreas sujeitas a desmoronamento e alagamento, semelhantes às existentes no município.

Já em janeiro, finda o prazo para a prefeitura cumprir a ordem de desocupação de moradores do Jardim Áurea e São Jose. Nesta região, aos menos 350 imóveis estão em área de risco de acordo com o laudo de 2006 elaborado pelo Instituto Geológico. Além da demolição, a prefeitura deverá reparar os danos urbanísticos e ambientais nesses bairros.

De fato, é concreta a existência de alto risco de deslizamento de terras e desmoronamento das casas, como atesta o relatório técnico. Caso não adotadas medidas urgentes para garantir a vida, a saúde e a segurança da população, os prejuízos poderão ser imensuráveis, diz o Ministério Público (MP).

Na Ação Civil Pública, o MP afirmou ainda que a Municipalidade tem se omitido em adotar as medidas necessárias à eliminação dos ricos e à retirada das famílias, além de ter permitido, por omissão, a ocupação indevida..

Neste momento, a Prefeitura tem atuado em dois caminhos diante das decisões judiciais. Um é promover obras emergenciais nas localidades e outro é tentar reverter as decisões, alegando que não haveria necessidade de tantas remoções. Nos processos do Jardim Áurea e São José, o jurídico da administração interpôs agravo de instrumento mas foi negado pela justiça.

O executivo, no entanto, obteve vitória parcial suspendendo a ordem de remoção no Jardim Madre Angela, Perracine e Vila Luiza. Nestes locais, após os 120 dias determinados pela justiça, técnicos do MP irão averiguar as obras efetuadas pela administração e emitir, assim, novo parecer sobre os riscos nos locais.

A justiça indicou que a prefeitura pode fazer emergencialmente obras para evitar o risco de inundação, mediante desassoreamento e limpeza do córrego, canalização de água e esgoto, implantação de sistema de captação e drenagem de águas pluviais.

É, contudo, uma equação complexa, de manter ou retirar os moradores, que já deveria ter sido resolvida pela administração municipal há muitos anos. O executivo é responsável pela fiscalização do uso, parcelamento e da ocupação do solo e por assegurar o bem-estar da população. Tem amplos poderes de controle e fiscalização podendo, inclusive, sem a necessidade de ordem judicial, prevenir ações lesivas aos particulares ou atenuar os seus efeitos para a coletividade.

Embora tenha havido obras de saneamento e de redução de risco em várias regiões da cidade, é inequívoca que elas foram insuficientes, conforme aponta a Ação Civil Pública. Manter moradores nessas áreas ao longo dos anos, sabendo do risco, é, no mínimo, brincar com a vida alheia. Se não fosse a ação da justiça, nada teria sido feito nos últimos dias. Se há desejos neste fim de ano, é que ao fim dos processos os moradores tenham seus direitos garantidos, a integridade preservada e os agentes públicos omissos sejam devidamente responsabilizados na justiça. Que 2014 seja melhor para todos.

Por Leandro de Jesus

Clique e confira as promoções

Publ01