Câmara de Poá votará apoio a maior punição de menores

.
A Câmara Municipal de Poá votará nesta terça-feira, dia 07, moção de apoio ao Projeto de Lei que prevê maior punição a menores. O PL foi apresentado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) ao Congresso Nacional. Se aprovado, a Câmara reafirmará a falência da política educacional e de segurança e se aliará às ideias mais atrasadas no espectro político.

A proposta do governador prevê aumento de três para oito anos o tempo de reclusão para jovens que cometerem crimes graves. A aprovação de tal mudança é o primeiro passo para a redução da maioridade penal, também desejada pelo político tucano.

Ambas propostas, no entanto, refletem somente a incapacidade dos governantes na criação de políticas públicas decentes que possam criar oportunidades de educação, desenvolvimento, capacitação, qualificação, inclusão no mercado de trabalho e geração de renda aos jovens. Ao invés de se criar essas opções, optam pelo que é mais fácil e de apelo popular, especialmente num momento de comoção, como é o que se tem agora.

Um jovem que já foi cooptado pelo mundo do crime não tem medo sequer da morte, quanto mais temer sua prisão, mais cedo ou por maior tempo. É balela, demagogia, dizer que o aumento da punição ou redução da maioridade irá cooperar para redução da criminalidade. É ingenuidade ou má fé afirmar isso.

É preciso "cooptar" o jovem para o mundo da civilidade, para as escolas, para as universidades, para o emprego. É preciso colocar o Poder Público nos lugares em que ele abandonou e deixou ser construído um poder paralelo.

É preciso transformar as fundações casas da vida em centros para humanos, não depósitos de jovens que só permitem a cultivação da cultura de violência e da escola do crime.

É isso que nossos governantes não querem ver e nem se preocupar. Preferem, novamente, a via mais fácil. 

Certamente é muito dolorido ser acometido por violência juvenil. Mas é muito mais dolorido mantermos nosso jovens à exposição do mundo do crime, sem opções, sem alternativa.

Que os vereadores reflita, reafirmem seu compromisso com uma cidade de futuro e não apoiem tal projeto.

Por Leandro de Jesus

0 comentários:

Clique e confira as promoções

Publ01