CANDIDATURAS INDEFINIDAS EM POÁ

.
A menos de dois meses para as eleições municipais, ainda não é possível dizer com certeza que serão os candidatos a Prefeito em Poá. Apesar de autorizados pela Justiça Eleitoral local, alguns candidatos, em virtude de questionamentos de condenações, ainda terão de enfrentar julgamento no Tribunal Regional (TRE) e possivelmente no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Candidato à reeleição, Testinha recebeu três pedidos de impugnação do PRP e uma do Ministério Público. Foi questionado o empréstimo de notebooks em ano eleitoral, condenação por crime eleitoral e as contas da prefeitura rejeitadas no Tribunal de Contas. O partido e o MP entraram com recurso da decisão de Poá.

Também houve recurso por parte do PSOL e do MP contra o deferimento das candidaturas dos acusados da prática de nepotismo na administração pública. Desse modo, também deverão ser julgados novamente os políticos Azuir Marcolino (PTB), Júnior da Locadora (PR), Roberto Marques (DEM), Edevaldo Gonçalvez (PR), Vagner da Ótica (PR) e Pedro Viviani (PMN).

Outra candidatura questionada é a de Deneval Dias (PRB), que fora condenado por improbidade administrativa no Tribunal de Justiça.

Em todos os casos, a juíza eleitoral de Poá, Antonia Brasilina de Paula, decidiu que não são enquadrados nas inelegibilidades da Ficha Limpa. Os recursos apresentados pedem que os desembargadores do TRE reavaliem a decisão impeçam as candidaturas.

Por Leandro de Jesus

0 comentários:

Publ01