RODOANEL EM POÁ: CAOS ANUNCIADO

.
A Prefeitura de Poá divulgou nesta sexta-feira, dia 06, dados do Estudo de Impacto da Implantação do Trecho Leste do Rodoanel Mário Covas (SP-021), elaborado pela empresa Oficina Consultores Associados, contratada pela administração municipal. O estudo prevê impacto na malha viária mas as estimativas e previsões não são animadoras.

Com a conclusão da obra na região, prevê-se que haja um aumento de quase 35% no número de veículos circulando no município. Passaria dos atuais 8.200 para 11.045. Em 2023, o número ultrapassaria os 14 mil carros. Somente no Viaduto Trancredo Neves, na região central, o fluxo de veículos deverá aumentar 62%. Na SP-66, rota que dará acesso ao Rodoanel, o aumento no tráfego será da ordem de 94%.

O estudo aponta que serão necessários a duplicação do Viaduto Tancredo Neves e da Rodovia Henrique Eroles (SP-66) e transposição da rotatória da SP-66, além das ligações da Avenida Brasil com a Avenida Ibar e da Avenida Vicente Leporace com a Avenida Projetada (Marginal da Linha Férrea), diz a nota da prefeitura.


Os resultados apresentados pela empresa só comprovam a expectativa sobre os danos da obra no município. O trânsito atual na cidade já beira o insuportável nos horários de pico. As vias principais são estreitas e poucos são os trajetos que possibilitam o acesso de um lado a outro. Hoje, qualquer veículo quebrado no viaduto provoca tráfego lento em toda a região central.

A Prefeitura já se antecipou e passou para o Estado a responsabilidade na execução dessas obras mitigadoras. De fato, o governo estadual tem de arcar com a maior parte dos custos para impedir o caos na cidade, o que não retira responsabilidade do poder público municipal. O executivo poaense tem de assumir também parte das obras e, além de tudo, agir desde já para não trabalhar apenas após os danos. A administração tem de começar sua parte e exigir de forma firme para que o Estado cumpra com seu dever. 

As obras necessárias foram elencadas e o Rodoanel ainda está em seu início. Foi importante a realização deste estudo de forma antecipada, mas sabemos como é, de modo geral, a lentidão dos projetos. Vejamos, agora, se o Poder Público cumprirá com seu papel para agir desde já nas soluções do problema futuro. Ou cumpra-se com a responsabilidade imediatamente ou certamente teremos de enfrentar o caos, apenas remediando-o. Nessa situação, a população pagaria a conta.

Por Leandro de Jesus

1 comentários:

Carlos Magno disse...

Impressionante!!!!!!!
Exatamente dois anos após esse alerta aos políticos da cidade, me parece que nada foi feito.
O caos anunciado está prestes a começar e não vi nenhum comentário sobre uma alça de acesso para Poá. Será que vamos ter que ir até Suzano para acessar o rodoanel. E pior, será que não vamos ser isentos de pedágio, porque só tem isenção para Suzano, pois só lá tem alça de acesso????

Clique e confira as promoções

Publ01