PELO QUARTO ANO CONSECUTIVO, POÁ PERDE QUALIDADE DE VIDA

.
Levantamento novamente mostra queda da cidade

O Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), que acompanha anualmente a evolução dos 5.564 municípios brasileiros e o resultado da gestão das prefeituras, apontou perda de qualidade de vida na cidade de Poá pelo quarto ano consecutivo. O período corresponde a três anos mandato do ex-prefeito Roberto Marques (DEM) e o primeiro de Francisco Pereira de Souza, o Testinha (PDT).

A pesquisa avalia três dimensões: Emprego e Renda; Educação e; Saúde. O índice varia de 0 (mínimo) a 1 (máximo) para classificar o nível de cada localidade. Os critérios de análise estabelecem quatro categorias: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4001 a 0,6), moderado (de 0,6001 a 0,8) e alto (0,8001 a 1) desenvolvimento.

No último ano pesquisado, 2009, Poá apresenta o índice 0,7945. Em 2005, a cidade obteve nota 0,8489 e desde então cai ano a ano. Embora a diferença pareça ser pequena, demonstra-se uma clara tendência de queda, ou seja, perda de qualidade de vida. Enquanto em uma década mais de 90% dos municípios apresentaram crescimento de seus IFDMs, o município cai há quatro anos.


Entre as áreas avaliadas, a saúde obteve a melhor nota, seguido por educação e emprego e renda. Entre todas as cidades avaliadas, o município está em 269 lugar. Na região, Mogi das Cruzes está mais bem avaliada que Poá.

A pesquisa revelou ainda "que o país tem 62,9% de cidades com desenvolvimento de moderado a alto; que o Centro-Oeste está bem próximo do patamar do Sudeste; e que o Norte e o Nordeste vão demorar, respectivamente, 20 e 10 anos para chegar à condição das regiões mais desenvolvidas. A expectativa é que só em 2037 os municípios do país garantam à população brasileira atendimento básico de saúde, ensino fundamental de qualidade e maior inserção no mercado formal de trabalho".

A pesquisa completa pode ser obtida em http://www.firjan.org.br

Por Leandro de Jesus

0 comentários:

Clique e confira as promoções

Publ01