2 ANOS DE GOVERNO TESTINHA

.
Governo do PDT não promoveu novidades como prometia

Metade da gestão do prefeito Testinha já se passou e uma avaliação mais clara sobre seu governo é possível de se realizar. Pode-se dizer que é mais do mesmo. É uma administração que não ousa, não inova, não mostra dinamismo, nem transforma ou promove mudanças substanciais.

Na campanha eleitoral, o atual prefeito fez promessas de mudança mas não as cumpriu. Não houve diminuição no número de secretarias como dissera. Ao contrário, o inchaço da máquina pública continua e o número de fucionários contratados sem concurso público, os chamados apadrinhados políticos, tem índice maior que a média das cidades do país. Dezoito secretarias é um número exorbitante para o tamanho da prefeitura de Poá e ainda assim não produzem o necessário.

Algumas secretarias apresentam bons serviços, como a Cultura e a Educação. Ambas realizaram ao longo dos dois anos projetos positivos. As outras 16 fazem uma gestão regular ou nula. Entre as regulares estão as pastas de Esportes e Saúde. Entre as que prestam serviços de péssima qualidade ou não demonstraram qualquer projeto estão a de Comunicações e a de Meio Ambiente.

Como exemplo de boas ações estão a orquestra e o centro de danças, ambos projetos da Cultura. A reforma e construção de escolas e participação de professores no processo de compra de material didático faz parte de atitudes positivas da Educação. A busca de parceria do governo federal na área de esportes também é acertada.

O balanço, no entanto, entre o que foi feito e o que poderia ser é desanimador. Não faltam exemplos. A Secretaria de Administração, responsável por realizar as licitações da prefeitura, há um ano e meio não consegue promover o importante certame para escolha da nova concessionária do transporte público. Após cancelamento do primeiro edital, só agora resolveu contratar consultoria e realizou recente debates públicos sobre tema.

A Secretaria de Obras peca em não exigir qualidade na prestação de serviços das empresas contratadas. As obras no município, de modo geral, sofrem com atrasos e não há ações incisivas do órgão para evitar essas situações.

Não houve até agora concurso público para preenchimento de cargos nas diversas secretarias mas houve o preenchimento de centenas de funções por comissionados, sem processo de seleção. A política de locação de imóveis para lotar os departamentos da prefeitura são um escândalo, já denunciado neste blog. Nada mudou. Os munícipes diante da ineficiente comunicação do executivo ficam informados mais sobre as coisas fúteis do que as importantes.

Pode-se dizer ainda que há secretaria que são nulas. Em dois anos fizeram tão pouco que deveriam ser fechadas ou serem nomeados novos secretários. São elas a do Turismo, Meio-Ambiente e da Mulher.

Problemas antigos não foram resolvidos ou foram atacados de forma muito tímida. A constantes reclamações de faltas de remédios nos hospitais; a continua a impermeabilização do solo, que facilita as enchentes; a tarifa de ônibus nunca foi reduzida, como Testinha prometera; não há expectativa da construção do shopping; não há planejamento orçamentário participativo; o parque das águas não sai do papel; não há política de incentivo a instalação de empresas nem início de uma política de turismo; não há uma séria política de tratamento de resíduos com a coleta seletiva.

Enfim, pode-se afirmar que para um governo que se dizia ser novo e do povo ele apenas pegou a direção do bonde, trocou uma roda e deu continuidade. Não promoveu mudanças substanciais, ou seja, não realizou as transformações necessárias que queriam aqueles que elegeram Testinha. Ou o governo muda a direção do bonde a favor de ações grandes e de impacto real ou continua com ações pontuais, sem conexão e se afundará nas próximas eleições.

Por Leandro de Jesus
Só será permitida a reprodução deste artigo ou parte dele mediante autorização por escrito.


1 comentários:

Anônimo disse...

Faço dessas palavras a minha. Ótimo post.

Clique e confira as promoções

Publ01