POLÊMICA SOBRE EXPOÁ CONTINUA

.
Após a prefeitura de Poá informar o cancelamento da EXPOÁ (Exposição de Plantas Ornamentais e Orquídeas) 2009, em razão da disseminação do vírus A H1N1, debates acalorados sobre a decisão tomaram conta em comunidade sobre a cidade no "orkut", na rede mundial de computadores - a internet. Questiona-se se foi uma decisão populista ou técnica.

Alguns participantes alegam que a decisão foi política e que provavelmente em ano de eleição a festa não seria cancelada. Outros concordam que se deve ter prudência. Os contrários à decisão dizem que a EXPOÁ seria muito esperada e a não realização eliminaria uma das poucas opções de lazer programadas na cidade.

Apesar de outras cidades não cancelarem festas, como em Arujá, Guararema, Suzano e a famosa festa de peão de Barretos, a prefeitura de Poá age de forma correta seguindo inclusive sugestões do governo federal.

De acordo com a assessoria do Ministério da Saúde, "há riscos de transmissão do vírus em local aberto, sendo que em locais fechados o risco é bem maior". A EXPOÁ tradicionalmente vem sendo organizada nos galpões e em tendas disponibilizadas na Praça de Eventos. Milhares de pessoas costumam visitar o espaço, fato que poderia potencializar a disseminação do vírus.

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, em locais abertos deve-se seguir, "a princípio, as mesmas recomendações de ambientes fechados. Evite aglomerações de pessoas e procure ambientes com maior ventilação, sugere a pasta.

O vírus é novo e toda precaução por parte de órgãos governamentais é importante. A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou que o H1N1 se dissemina numa velocidade muito alta e o total de contaminados já supera os que estão com gripe sazonal.

Diante desse cenário, é importante o cancelamento da EXPOÁ como medida de prevenção. Independente dos reais motivos que levaram a prefeitura a tomar tal decisão, ela está tecnicamente correta.

Por Leandro de Jesus

0 comentários:

Publ01