DITADURA EM POÁ?

.
Na última semana, foi anunciada a segunda alteração em cargo de alto escalão na prefeitura de Poá, com apenas 3 meses da nova administração. O Diretor de Turismo, Aessio Ramos Pinto, foi demitido. A dispensa, que deveria ser apenas uma atitude da burocracia municipal, está envolta de mistério, pois oficialmente não foram divulgados os motivos.

Aessio Ramos é conhecido por sua colaboração com o jornal Novo São Paulo. No dia 4 de abril, nesse periódico, foram publicadas duras críticas contra atitudes do prefeito. Houve questionamentos a respeito de comprissos assumidos durante a campanha e não cumpridos até o momento, além de denuncia de funcionários fantasmas na administração.

Dias depois da publicação, houve a informação da dispensa. Diante disso, a prefeitura precisa divulgar quais foram os motivos para a demissão. Caso não faça, estará claro para a população que a motivação foi a repulsa às críticas públicas.

Se assim for confirmado, o perfil do prefeito Francisco Pereira de Souza, o Testinha, estará mais que desenhado: um gestor que não admite críticas de subordinados e que censura a livre expressão da opinião de membros do governo. Práticas assim foram vistas em larga escala na ditadura militar brasileira (1964-1985).

A população aguarda posicionamento do prefeito diante desse fato, pois aparentemente não há outra motivação. Testinha agirá com autoritarismo assim como outros coronéis da cidade? Os munícipes esperam que não, mas aguardam ansiosamente respostas.

Por Leandro de Jesus

0 comentários:

Publ01