25 outubro, 2007

Ponto de Ônibus

Por Saulo Souza
Absurdo os abrigos de ônibus em Poá num dia de chuva como o de ontem e o de hoje. O “nosso” abrigo, que como o nome já diz, deve servir para abrigar, dar cobertura, refúgio, serve para tudo menos abrigar, acobertar, refugiar. Estavam lá todos os que necessitam obrigatoriamente sair de casa em meio à chuva fina e forte (inclusive algumas mães com crianças no colo), com suas sombrinhas ou seus guarda-chuvas abertos bem embaixo do ponto de ônibus. O poaense que presencia essa cena entende menos ainda quando chega o verão. Por que quando chove a gente usa o guarda-chuva embaixo do ponto e quando faz sol a gente se resguarda atrás do abrigo? Os abrigos são enfeites! São de mentirinha! Faça chuva ou faça sol, raras são às vezes em que esse teto é útil. Um exemplo desta situação calamitosa são os dois pontos na região central (do lado de baixo e de cima da estação de trem) por onde passam praticamente todas as linhas da cidade e milhares de homens, mulheres, idosos e estudantes por dia. Estou sufocado pelas mazelas que assolam nossa cidade e indignado com o descaso com que o povo pobre dessa cidade vem sendo tratado. Por isso é nosso dever atacar esse mal que assusta, achincalha e castiga aos milhares por essa nossa Poá.

23 outubro, 2007

IPTU

Por Saulo Souza

Os privilégios de alguns em detrimento da coletividade na Administração Municipal nos enchem de tristeza misturado com revolta. Neste passo, vislumbra-se o vergonhoso projeto aprovado pela Câmara que deu recentemente perdão de multas àqueles que estão com IPTU atrasados. Homens e mulheres pobres, viúvas e aposentados são fiéis pagadores. Sofrem, mas pagam os tributos em dia. Não foram eles os beneficiados, mas proprietários de vários imóveis da cidade, Administradores de Empresas, donos de extensas áreas de terras e finalmente aqueles que se reúnem na padaria Chips e encontram seus grandes amigos da Prefeitura e da Câmara. Assim, claramente se vê a Prefeitura e a Câmara servindo e atendendo aos anseios da elite da cidade. Abandonam aqueles que seriam beneficiados pelos postos de saúde, escolas, creches e infra-estrutura urbana depois de recebidos recursos provenientes destes tributos. Sr. Prefeito e Vereadores, pode-se enganar a todos por algum tempo; Pode-se enganar alguns por todo o tempo; Mas não se pode enganar a todos todo o tempo.

Seria Cômico Se Não Fosse Triste

Por Saulo Souza

Depois de os onze vereadores terem dito enganados pela FAEP no convênio com a Prefeitura e alegarem não terem feito a leitura do contrato assinando de boa fé, o que cheira muito mal as nossas narinas, sabendo nós que o futuro dos poaenses está em mãos de pessoas que não se prezam a ler contratos antes de assiná-los, mais uma vez os nossos vereadores mostram o total despreparo enquanto ocupantes de cargos que representam o povo. Depois do vereador Júnior da Locadora propor a mudança de nome da Rua Deputado Porfírio da Paz para Rua Edson Romano e apresentar os seus mais “sólidos” argumentos (?), inacreditavelmente a maioria dos vereadores fizeram uso da tribuna e disseram ser totalmente contra a proposta porém que votariam a favor – e votaram mesmo. Imagine, ser totalmente contra e votar a favor. Estou desistindo...

CABIDES

Por Saulo Souza

Chega desta Administração (leia-se Sr. Roberto Marques, André Marques, Fernando Felipe e Cia). Só quem não administra nada eficazmente que defende a criação de novas secretarias numa cidade que já se encontra empanturrada de funcionários. O povo espera que os vereadores que dizem representar o povo, na sessão de hoje, diga NÃO a este projeto inescrupuloso e vergonhoso do Executivo. A criação de secretarias de esportes, turismo e da mulher (cerca de 90 cargos comissionados) é para dar continuidade ao "toma lá dá cá" entre os partidos da base de apoio ao governo Roberto Marques. Qualquer pessoa sabe que a solução para gerar resultados é o aumento da produtividade. E produtividade se obtém com educação, valorização dos funcionários, treinamento e monitoramento. “O que o povo não quer a Prefeitura faz!”

15 outubro, 2007

cpmf

Por Saulo Souza
A CPMF, quando surgiu em 1996, era apenas uma contribuição provisória criada para salvar a saúde pública, uma vez que o Sistema Único de Saúde estava em xeque, vivendo grandes tragédias.
Passados 11 anos de sua criação, corremos o risco de que se torne definitiva, contrariando o desejo da população brasileira, que é ser desonerada, liberada deste ônus. Assim, junte-se a campanha da FIESP contra a suposta necessidade de prorrogação, pelo Governo, da vigência da CPMF.
Participe- assine o abaixo assinado -
http://cpmf.fiesp.com.br/

14 outubro, 2007

coco

Por Saulo Souza
“Para tirar o coco, não basta balançar o pé que ele não cai. Quem quiser, vai ter que subir no pé e retirar o coco com as próprias mãos." Um dia depois de pronunciar essa frase, Renan Calheiros estava no chão. Sua saída da presidência do Senado resolveu parte do problema. Mas o coco só tirou licença. Já não pende da palmeira de comando, mas continua lá, no meio do plenário, à espera de que decidam o seu futuro.

11 outubro, 2007

FAEP

Por Saulo Souza

O insucesso da FAEP no município já tinha sido prevista neste blog. Nosso repúdio a esta forma de terceirização e privatização que possibilita essencialmente o desvio de recursos públicos para mãos privadas e ainda possibilita o cabide de emprego mediante a contratação sem concurso público de cabos eleitorais de políticos. Políticos já utilizaram tais métodos para enganar o povo, respaldados em alegações duvidosas, como as utilizadas para justificar as privatizações de empresas estatais que causaram grande perda de patrimônio publico no Estado de São Paulo e grande índice de desemprego de profissinais competentes que foram substituídos por apadrinhados. O custo absurdo de R$ 600 mil reais que saiu dos cofres públicos e sairia mensalmente foi escoado. Todos os onze vereadores “endossaram” este contrato negligente que, por exemplo, indicava atendimento máximo de 12 mil pacientes no mês quando a demanda municipal é normalmente de 20 mil pacientes mensais. Isto é uma vergonha!

Abuso de Poder

Por Saulo Souza

O dinheiro está sobrando. Vereadores, na pessoa do Presidente Mohamed Harati (PSC), resolveram ampliar o próprio conforto e comodidade e de seus respectivos familiares comprando e alugando novos carros. São três seminovos Gol 1.0 Flex. Custo de R$ 26.000,00 cada um. Ainda, oito outros carros de aluguéis. Verdadeiro prejuízo mensal de R$ 14.000,00 por mês (aluguéis simplesmente 20% mais caros que da Câmara Municipal de São Paulo). Talvez se faz justo este custo desnecessário aos cofres públicos em virtude do exaustivo trabalho das Comissões Internas, “tão conhecidas do público por seu trabalho incansável em prol da nossa cidade”. Ou, quem sabe, talvez para que os vereadores possam, de forma mais eficiente, percorrerem todos os muitos quilômetros de extensão desta tão extensa cidade, buscando respostas para justificar o atual aspecto de terra arrasada. Carros no Veran, no Shopping de Suzano, em estacionamentos residenciais, na praia, na condução de funcionários, no transporte de doentes de outras cidades aos hospitais na capital em nada constituem abuso de poder, fazem parte do rol de atividades.
Não faz muito tempo, era comum ouvir nas ruas que a Câmara Municipal, na Legislatura anterior, era muito ruim, e que, portanto, deveria ser mudada. Hoje, os sons que vêm da rua, sopram as mesmas críticas. Que estes sons venham como um tufão, ocupando os espaços por onde passarem e provocando o salutar debate em prol da nossa cidade, soprando para bem longe aqueles que não se dignaram a cumprir adequadamente o seu papel.

Há abuso de poder toda vez que se identifica um “vício do ato administrativo que ocorre quando o agente público exorbita de suas atribuições (excesso de poder) ou pratica o ato com finalidade diversa da que decorre implícita ou implicitamente da lei (desvio de poder)” (Maria Sylvia Zanella di Pietro, Direito Administrativo. p. 198).


A função do Vereador é examinar projetos de leis, debater a sociedade local, fiscalizar o cumprimento do orçamento e outras que lhe são legalmente cometidas. E entre suas funções não está a de transportar doentes em veículo de representação. Nesta situação estará o vereador fornecendo ajuda com o bem público, que lhe cabe administrar, vedada a utilização como se dele fosse. (Apelação Cível n.º 095.984.5/8-00, da Comarca de São Carlos. Relator Lineu Peinado).


VEREADOR - Improbidade administrativa - Caracterização - Utilização de veículo oficial para fins particulares - Violação à moralidade administrativa - Condenação em danos materiais e multa pecuniária - Indenização por dano moral ao Município incabível por tratar-se de direito difuso - Inaplicabilidade da pena de suspensão dos direitos políticos tendo em vista a incompatibilidade com a pequena gravidade da lesão - Recurso parcialmente provido – JTJ 270/252.

Manchetes

Por Leandro de Jesus Gomes, estudante de Jornalismo na PUC-SP

O sitio da prefeitura de Poá - www.poa.sp.gov.br - está especializando-se em publicar enganações, balelas, lero-leros. Esquecem apenas que tem pessoas de olho e que esclarecem a realidade.

Parque Municipal

“No último dia 28 de setembro, técnicos da Secretaria do Estado de Meio Ambiente estiveram em Poá, juntamente com o diretor de Meio Ambiente, Fernando Poyatos, vistoriando a área no Jardim Débora, local onde o prefeito Roberto Marques planeja a construção do Parque Municipal de Poá”.
O sitio afirma mais um lero-lero: “O projeto faz parte do plano de governo de Marques de preservar as áreas verdes da cidade e consolidar Poá em sua vocação natural, que é ser uma estância hidromineral”.

Todos sabemos que é exatamente isso que o nosso prefeito não quer. Vide todas alterações nas praças da cidade. Vide construção em plena área verde do município. Vide derrubada de árvores da 9 de Julho, entre outras ocupações imorais do espaço público.

A idéia do parque até que é ótima, mas não venha mentir para a população que há preocupação com o meio-ambiente.

Sem Tetos

“Ocupantes de uma área particular no Jardim São José estiveram na Prefeitura de Poá na manhã de 4 de outubro para pedir ajuda da Prefeitura em relação à ordem de desocupação que receberam da Justiça, a qual atendeu ao pedido dos proprietários da área.”

Sabe qual é o único apóio da prefeitura a eles? Um desejo. “O prefeito Roberto Marques determinou toda a atenção da Prefeitura a este problema social, desejando que ocorra um desfecho favorável aos cidadãos”. É isto que está no sítio da prefeitura. O povo quer ajuda e eles apenas dão apoio moral. Parece piada.

Central de Agendamento

Poá criou uma central de agendamento para consultas e exames. Seria louvável se pelo menos o atendimento nos postos e hospitais fossem decentes. E pior, como agendar 20 mil exames, que é a média necessitada pela população, se a prefeitura autorizou a FAEP – gestora da saúde no município – a fazer apenas 12 mil? Talvez o prefeito saiba explicar.



09 outubro, 2007

O Conto do Beija-Flor

Por Saulo Souza
Alguns já me procuraram para ameaças e outros para locupletarem-me a fim de que esse projeto fosse abandonado. Confiei em Deus, fiz vale o caráter moldado pelo cristianismo e me apeguei as palavras de incentivo de muitos que acreditam neste trabalho. Lembrei também de um conto que li quando criança e nunca mais esqueci. Este dizia de um incêndio na floresta e que enquanto todos os bichos corriam apavorados, um pequeno beija-flor ia do rio para o incêndio levando gotinhas de água em seu bico. O leão, vendo aquilo, perguntou para o beija-flor: "Ô beija-flor, você acha que vai conseguir apagar o incêndio sozinho?" E o beija-flor respondeu: "Eu não sei se vou conseguir, mas estou fazendo a minha parte". Obrigado leitor.

08 outubro, 2007

troca-troca

Por Saulo Souza
Triste outubro. O que se vê nos semanários sobre o troca-troca partidário na nossa cidade é mais uma demonstração de que os partidos estão totalmente desconectados das reais necessidades do povo poaense e, portanto, das reais propostas e projetos que deveriam estar sendo debatidos pelos onze e toda Administração do Sr. Roberto Marques. É impressionante como, com tanta rapidez, os partidos se unem para defender seus próprios interesses, e como essa rapidez toda não ocorre quando se quer discutir, votar e trabalhar pelas propostas de interesse da maioria do povo.
Preocupado em aumentar o time de apoio ao governo e ampliar ao máximo a quantidade de partidos que apoiarão a reeleição da atual Administração, o Presidente da Câmara Mohamad Harati e o Vice Prefeito da cidade Edu do Posto migraram de partidos inesperadamente, num claro desvio de ética e falta de moralidade uma vez que não há justa razão. Mais do que um desvio ético, uma clara fraude à vontade popular e uma transgressão ao sistema eleitoral proporcional.
E assim segue Poá num rumo assustador, com um governo concentrando cada vez mais poder e distribuindo privilégios que agridem o principio de isonomia.
Silenciosamente, os poaenses irão expurgar da vida pública a horda de "políticos" que tratam os poaenses com descaso. Esse é o desafio da dignidade poaense. Pasmem, não reeleger ninguém.

03 outubro, 2007

Governo Poaense


Clique e confira as promoções

Publ01